Empresário individual: Como separar seus ganhos pessoais dos da Empresa?

visaoae

Empresário individual: Como separar seus ganhos pessoais dos da Empresa?

Para o Empresário Individual gerir sua empresa não é nada fácil. São tantos detalhes que devem ser administrados que alguns podem passar desapercebido e em virtude disso alguns erros podem levar o negócio até ao risco de falência.

Um erro muito comum por parte do empresário individual é acabar misturando os ganhos pessoais com os da empresa.

O que o empresário individual precisa saber é que manter a organização financeira, tanto pessoal quanto da empresa, é algo essencial para que o negócio prospere e seja um sucesso pois a mistura disso pode levar ao prejuízo e, até mesmo, à falência da empresa.

Então se você é um empresário individual e quer saber como separar seus gastos pessoais dos gastos da empresa, este post é mesmo para você. Confira algumas dicas que nós da Visão AE preparamos especialmente para você.

Vamos lá?!

Como o empresário individual pode separar seus ganhos dos da empresa?

O fato é que uma gestão financeira equilibrada, tanto do empreendimento quanto pessoal, é o caminho mais fácil ter uma vida financeira saudável e não misturar as estações na hora de fazer as contas.

Além disso a separação das despesas pessoais permite ao empresário individual controlar mais adequadamente os seus gastos podendo adequá-los à situação real do seu negócio.

Isso também permitirá ter uma ideia fiel do verdadeiro lucro da empresa como também do retorno dos investimentos e aumentará a praticidade na realização de investimentos para o futuro do empreendimento.

Então, vamos as dicas de ouro  para que você, empresário individual, possa separar os seus ganhos dos da empresa e administrar melhor o seu negócio:

 

  • Faça um Diagnóstico

 

A primeira coisa que deve ser feita é um diagnóstico detalhado das finanças da empresa identificando o lucro real do negócio e qual a soma das despesas pessoais do empresário individual, separando bem uma coisa da outra.

Lembre-se que aqui devem entrar todos os gastos, desde o plano de saúde dos filhos até os honorários do advogado ou contador.

 

  • Defina um valor de retirada

 

O lucro da empresa não deve ser o lucro do empresário individual, afinal ele tem as suas finalidades como investimento, capital de giro, pagamento de obrigações e etc.

Já a retirada do proprietário, também conhecida como pró-labore, deve ser definida de acordo a realidade financeira da empresa, não podendo comprometer as obrigações da mesma.

 

  • Despesas domésticas à parte

 

Essa pode parecer uma tarefa muito simples, mas é complicado fazer isso de verdade. Então, empresário individual, pense antes de usar o carro tanto para atividades pessoais quanto da empresa ou de pedir para a secretária pagar a escola dos seus filhos durante o expediente, e principalmente, não use os recursos da empresa para isso. Uma coisa não deve nunca influenciar na outra.

 

  • Conta bancária separada

 

Obviamente se a ideia é separar os gastos, então, é imprescindível que a conta da empresa seja separada da conta do empresário individual. Não quer dizer que isso seja uma obrigação legal, mas facilita muito na hora de administrar as finanças e separar extratos, gastos e lançamentos.

A mesma regra serve para cartões vinculados às contas ou mesmo cartões de credito. Separe tudo! Isso ajudará também na hora de fazer a declaração do IR.

 

  • Tenha uma reserva

 

O mercado está em constante mudança e para sobreviver é preciso adaptar-se às necessidades temporais. Sendo assim, é legal que a empresa tenha sempre uma pequena reserva financeira tendo autonomia para responder rapidamente a qualquer necessidade que apareça.

Uma reserva pessoal também é fundamental para que você, empresário individual, não tenha que recorrer à empresa caso surja algum imprevisto na sua vida pessoal, ou até mesmo aquela viagem de férias.

 

  • Aproveite os planos corporativos

 

Celular, internet, telefone e muitas outras funcionalidades contam com planos especiais para empresas que são mais baratos do que para pessoa física, então aproveite para economizar.

Lembre-se que até mesmo empréstimos em bancos costumam ser mais baratos para pessoas jurídicas do que físicas.

Porém, ao fazê-lo, vincule seus pagamentos à sua retirada pessoal, pois assim, saberá que é você que esta consumindo os planos e não a empresa.

Conclusão

Caso você, empresário individual, não se sinta seguro para fazer um controle de suas finanças pessoais e da empresa sozinho, contrate uma assessoria contábil e financeira. Nós da Visão AE, somos especialistas em Gestão Contábil e Gestão Financeira. Podemos analisar suas finanças e lhe indicar as melhores opções em investimentos e planejamento fiscal tributário e também financeiro, para que tanto você, quanto sua empresa sejam muito bem sucedidos!

Esperamos que você, empresário individual, aproveite essas dicas e separe agora mesmo as suas finanças pessoais das da sua empresa.

Boa sorte e até a próxima!

Nenhum comentário

Postar um comentário