Tecnologia Fiscal – Entenda e atenda a rigidez do Fisco

Fisco, Fiscal

Tecnologia Fiscal – Entenda e atenda a rigidez do Fisco

Não é novidade que o Fisco possui uma rigidez intensa. Além disso, por força da Lei, as empresas que sonegam impostos, poderão responder profissional e criminalmente, o que deixa o empreendedor ainda mais atento quanto a questão fiscal.

É considerado crime contra a ordem tributária e está previsto na Lei n° 137/90, as práticas dolosas que envolvem a omissão de informações, ou ainda o ato de omitir qualquer operação (de quaisquer naturezas), havendo também a falsificação fiscal, de duplicata, de fatura ou qualquer tipo de documento ou prática contábil que manipule ou altere de forma ilegal dados importantes que serão enviados ao governo.

Inclusive, a SEFAZ – SECRETARIA DA FAZENDA possui um Núcleo de Inteligência e Investigação, que visa dificultar essas práticas, tornando dessa forma a fiscalização, ainda mais rigorosa!

Toda essa ação visa eliminar a utilização e meios de burlar o fisco.

Então, o que todo empreendedor e empresário deve fazer?

Passa a ser de vital importância que o empresário esteja atento a sua contabilidade e quanto ao que é importante na hora de fazer a transmissão de informações e pagamento de tributos para a Receita Federal do Brasil e órgãos reguladores.

Cada informação é essencial. Nenhuma omissão sobre as receitas deve ser feita.

A Receita Federal recebe informações sobre seu negócio de diversas formas, exemplo:

  • Através das administradoras de cartões de crédito.
  • Por meio dos bancos.
  • Através de NFe’s emitidas contra você
  • Dentre outras formas;

E por meio de uma análise criteriosa, conhecida como malha fina e cruzamentos de informações, a Receita Federal realiza diversas verificações nos dados fiscais empresariais, de modo a encontrar quaisquer tipos de divergências nas informações. Outro detalhe importante é, se faltarem informações, o Fisco logo desconfia e essa é outra forma de se cair na mira do fisco.

Por isso é imprescindível que haja precisão nas informações,  valores de vendas e compras, inclusive até mesmo com a questão dos centavos que entram.

O Fisco anda cada vez mais inteligente, e, portanto, é preciso que as empresas também atuem de forma qualificada para não ter nem problemas, nem prejuízos.

Um exemplo disso, é que as novas tecnologias empregadas pelo Fisco, estão exigindo que as empresas prestem contas fidedignas a realidade organizacional. É perceptível que a transmissão de dados pela internet está cada vez mais atuante e tomando o lugar de procedimentos passados.

Essa ação tem a missão de evitar erros e sonegação. Tudo hoje está associado e interligado. As mudanças fiscais exigem que as empresas tenham uma estrutura tecnológica compatível ao exigido.

De acordo com essas novas obrigações, podem ser descritas:

 

  • O e-Social.
  • Os cupons fiscais eletrônicos.
  • As Notas Fiscais Eletrônicas.
  • O Sped Fiscal (Sistema Público de Escrituração Digital).
  • As mudanças ocorridas no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços).
  • E a Declaração do Imposto de Renda Online.

 

Portanto, é impossível desassociar o Fisco da tecnologia e vice-versa. A medida do tempo essas ferramentas digitais permitirão maior agilidade dos processos empresariais e também maior controle em 100% no cumprimento do Fisco, por esse motivo se faz necessário estar plenamente atuante em conformidade com os parâmetros da Lei que rege o desenvolvimento e atuação da empresa perante o mercado, seja na captação de recursos, seja com as vendas ou quanto as despesas do negócio.

Esse contexto, envolve, portanto, a seguinte iniciativa dos empresários:

  1. Crescente especialização na gestão de documentos fiscais eletrônicos.
  2. Relação próxima entre empresa e sua contabilidade.
  3. Fazer uso de ferramentas eletrônicas atuais.
  4. Reunir informações importantes da empresa em um só lugar/ fonte.
  5. Uso de softwares que sejam compatíveis as exigências fiscais.
  6. Gestão otimizada de todos os dados empresariais.

Como se pode verificar, os processos organizacionais tem um papel fundamental na segurança fiscal de uma empresa, pois incluem planejamento tributário e compliance fiscal de modo a mitigar quaisquer tipos de risco em relação ao Fisco.  Portanto, fique atento se sua empresa já possui este tipo de organização, para que vocês estejam assim, em conformidade com todas as exigências legais.

Até a próxima!

 

Nenhum comentário

Postar um comentário